sexta-feira, 28 de maio de 2010

ARISTÓTELES – INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS DE LÓGICA E ÉTICA

Enquanto Platão utilizava-se apenas da razão para entender o mundo, Aristóteles usou também os sentidos, a observação. Ao contrário de Platão, que chegou a conclusão que as idéias eram inatas, Aristóteles chegou a conclusão que a RAZÃO é inata. A idéia precisa da realidade para se desenvolver.
A realidade é formada pela SUBSTÂNCIA e pela FORMA. Onde FORMA são as características físicas e biológicas. SUBSTÂNCIA é tudo o que um ser único, entre todos da espécie.
Aristóteles queria por ordem nas coisas, para isso ele iniciou a LÓGICA, enquanto ciência.

Vamos dar uma parada. O que é LÓGICA?
Lógica é uma parte da filosofia que estuda o fundamento, as estruturas e as expressões humanas do conhecimento. A lógica foi criada por Aristóteles no século IV a.C. para estudar o pensamento humano e distinguir interferências e argumentos certos e errados.
Aristóteles estabeleceu um conjunto de regras rígidas para que conclusões pudessem ser aceitas como válidas: o emprego da lógica leva a uma linha de raciocínio baseado em premissas e conclusões. Por exemplo: se for observado que "todo ser vivo é mortal" (premissa 1), a seguir é constatado que "João é um ser vivo" (premissa 2), como conclusão temos que "João é mortal".
A Lógica ao mesmo tempo em que define as leis ideais do pensamento, estabelece as regras do pensamento correto, cujo conjunto constitui uma arte de pensar. Define-se também que a lógica é a ciência do raciocínio correto. Em outras palavras, lógica é arte que nos faz pensar e agir, com ordem, facilmente e sem erro, um ato próprio da razão.

Voltando ...
Aristóteles começou dividindo as coisas em ANIMADAS e INANIMADAS. INANIMADAS – tudo o que não se desenvolve sozinho (pedras, fogo, água, ar). ANIMADAS tudo o que possui dentro de si a potencialidade de transformação (todos os seres vivos). Tudo o que vive (plantas, animais e pessoas) têm a capacidade de se alimentar, crescer e reproduzir. Animais e homens interagem com o meio, se locomovem. E de todas as espécies animais, o homem PENSA. Como a cadeia alimentar onde os carnívoros estão no topo, na cadeia da natureza, o homem está no topo da escada, porque pensa.
Já que o homem está no topo da escada da natureza, do que ele precisa para viver? A resposta de Aristóteles é ser feliz!
Para Aristóteles a felicidade do homem se dá de três formas distintas. Felicidade dos prazeres e satisfações –tudo o que pode ser satisfeito pelos sentidos (sede, fome, frio, som muito alto, etc. ). Felicidade da liberdade – só o cidadão livre, que pode expor suas opiniões sem medo, é feliz. Felicidade do estudo – o autoconhecimento e o conhecimento de tudo o que o cerca, o conhecimento da verdade das coisas.
A harmonia, (felicidade) está em ter em constante equilíbrio (ética) entre estas três formas de felicidade, sem excessos. Exemplo: coragem demais = audácia; coragem de menos = covardia. Generosidade demais – extravagância; generosidade de menos = avareza.

Vamos aos conceitos principais:
ÉTICA : A palavra ética se origina do termo grego ethos, que significa "modo de ser", "caráter", "costume", "comportamento". De fato, a ética é o estudo desses aspectos do ser humano: por um lado, procurando descobrir o que está por trás do nosso modo de ser e de agir; por outro, procurando estabelecer as maneiras mais convenientes de sermos e agirmos. Assim, pode-se dizer que a ética trata do que é "bom" e do que é "mau" para nós

MORAL: Finalidade e sentido da vida humana, os fundamentos da obrigação e do dever, natureza do bem e do mal, o valor da consciência moral. Moral é um conjunto de normas que regulam o comportamento do homem em sociedade, e estas normas são adquiridas pela educação, pela tradição e pelo cotidiano, ciência dos costumes, sendo algo anterior a própria sociedade. A Moral tem caráter obrigatório

QUAL A DIFERENÇA ENTRE MORAL E ÉTICA? Enquanto a moral tem caráter prático, imediato, restrito, histórico, relativo, a ética é a reflexão filosófica sobre a moral, procura justificativas, é um guia para uma ação futura, é a orientação para a vida e o conviver. Cada vez é mais necessário uma ética aplicada, uma ética que coexista com o quotidiano das pessoas. A ética é também específica, dividida em ramos, para melhorar e analisar cada situação, sendo um bom exemplo disso os códigos éticos para as diferentes profissões. Isto acontece porque as pessoas têm que entender que as suas ações têm conseqüências não só para si mas também para os outros, e que estas não podem ser encaradas só de um ponto de vista

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário